Home » » SEXICONTO da KAREN

SEXICONTO da KAREN

AppId is over the quota
AppId is over the quota
type='html'>
Eu e a Gi convivemos durante toda a faculdade, mas somente ficamos amigas de verdade depois que nos formamos. Desde então, fazemos questão de nos encontrar pelo menos uma vez por mês. Esses momentos nossos são uma delícia: colocamos o papo em dia, falamos besteira, nos divertimos muito e... Bebemos.Na semana passada nos encontramos na casa dela. Secamos, pasme, uma garrafa inteirinha de Martini (bebida de mulher) com cerejas em calda. Sem contar o baseado que eu levei. Daí dá para você imaginar o estado que ficamos. Até aí, tudo normal entre duas amigas que tomam um porre juntas. Mas a história que quero contar começa mesmo quando a Gi resolveu tomar banho para dormir. O papo estava animado. Eu a acompanhei até o banheiro e sentei na tampa da privada, enquanto ela se despia para entrar no chuveiro.A cena que se seguiu foi uma das mais sensuais que já havia presenciado. Ela falava alegremente, enquanto se despia, livre de qualquer pudor. Escorregou pelas pernas o vestido e abriu o soutien, deixando livres seus seios perfeitamente fartos. Deslizou as mãos pelos quadris largos até tirar por completo a calcinha pequena. Entrou no chuveiro e deixou a água correr por todo seu corpo.Nesse momento eu percebi que estava completamente excitada, hipnotizada por seus movimentos. Esse sentimento era novo para mim, que nunca havia me sentido atraída por uma mulher antes. Mas não tive forças para lutar contra isso.De repente ela me olhou e perguntou se eu não tomaria banho também, me convidando a dividir o box com ela. Eu gelei dos pés à cabeça, mas não recusei. Ela logo me entregou uma esponja cheia de espuma, me pedindo para que esfregasse suas costas, e se virou para que eu cumprisse a missão que me fora designada.Eu não sabia como agir, nunca havia estado numa situação parecida com uma mulher. Estava completamente tomada pelo tesão. Então, enquanto minhas mãos escorregavam em suas costas, deixei que meus seios lhe encostassem. Ela não se assustou, como eu esperava, e ainda empinou a bunda em minha direção, pressionando-a contra minha boceta. Minha mão, teimosa, não me obedecia e deslizou de seus ombros para seus peitos com bicos rijos. Como ato contínuo, dei-lhe uma mordiscada no pescoço e outra na orelha. Ela virou o rosto, oferecendo sua boca. E eu a beijei! Beijei longamente a boca mais macia e carnuda que já havia beijado.Então, acho, perdemos o controle da situação e nos deixamos entregar ao tesão absurdo que sentíamos. A música, que ainda tocava em outro cômodo da casa, parecia perfeitamente sexy. Dançamos abraçadas e nuas, num baile de luxúria.Nossas mãos nos percorriam, nossas bocas se entrelaçavam e nossos corpos se contorciam. Éramos como duas cadelas no cio.Ela, então, me empurrou contra a parede e ajoelhou-se diante de mim, abocanhando minha boceta com a delicadeza que somente uma mulher teria. Me chupou ardorosamente enquanto eu rebolava me esfregando na sua cara. Gozei deliciosamente. Depois, ela fechou o chuveiro, secou meu corpo com cuidado e me levou para seu quarto. Eu me deixei conduzir até a cama, onde deitei obedientemente. Ela me beijou inteira e seus dedos me exploraram a boceta. Depois, se deitou de ponta cabeça, me fazendo iniciar uma espécie de "siga o mestre". Comecei pela boca, beijando-a longamente. Então, eu que estava por cima, fui descendo pelo seu pescoço (senti ela arrepiar-se) com uma parada nos seus peitos, que enchiam minhas mãos. E que peitos gostosos. Mordisquei-lhe os mamilos rosados e duros - eles dançavam com minha língua.Desci pela barriga e beijei seus pêlos macios. O cheiro da sua boceta me inebriava. Seu gosto doce me fazia querer não sair nunca mais dali. Chupei, delicadamente, seu clitóris durinho e a penetrei com minha língua. Ela se contorcia e repetia todos os meus movimentos. Ela gozou antes de mim e seus espasmos me deixaram louca. Gozei novamente e logo em seguida, sem intervalo, gozei mais uma vez. Tombei para o lado. Exaustas de todo o prazer que acabáramos de sentir, dormimos profundamente, abraçadas como duas amantes. Depois disso, não nos falamos mais. Talvez ligue para ela hoje. O fato é que eu estou morrendo de vontade de repetir a dose e sentir novamente os orgasmos que nunca imaginei ter com uma mulher. Será que ela também quer?
 
Support : Copyright © 2015. my greek1 - All Rights Reserved